© PHOLHAS PRODUÇÕES

2019

www.pholhas.com.br 

  • Facebook Social Icon
  • Instagram ícone social
  • Twitter Social Icon
  • YouTube Social  Icon

No final de 1968, na cidade de São Paulo, três rapazes: Paulinho Fernandes, Oswaldo Malagutti e Hélio Santisteban, haviam acabado de deixar a banda “The Wander Mass Group” com o objetivo de montar outro grupo que tivesse mais a ver com sua personalidade musical. Convidaram então o amigo Wagner Benatti, o Bitão, guitarrista e vocalista (autor inclusive da música "Tijolinho", um dos grandes sucessos da Jovem Guarda), que aceitou prontamente o convite e no início de 1969, mais precisamente no dia 18 de fevereiro, fizeram o 1° ensaio oficial da nova banda que ainda não tinha nome. Pouco tempo depois, um amigo que estava sempre presente aos ensaios - Marco Aurélio (Lelo), sugeriu o nome PHOLHAS, que grafado com “PH” ficava original, sendo imediatamente aceito por todos. Anos mais tarde Lelo viria a dizer que o nome PHOLHAS foi inspirado no título de um disco dos Rolling Stones chamado “FLOWERS”.

Com sua ótima qualidade vocal e instrumental, os PHOLHAS tornaram-se em pouco tempo um dos grupos musicais mais requisitados para os bailes paulistanos, isso chamou a atenção da gravadora RCA VICTOR que os contratou, em 1972, para gravar seu primeiro disco com canções próprias, cantadas e compostas em inglês, influenciadas pelos sucessos internacionais da época. O grande destaque foi “MY MISTAKE” que ficou em 1° lugar por 2 meses consecutivos, vendendo mais de 450.000 cópias e rendendo o 1° Disco de Ouro na carreira da banda. O disco foi lançado também na América do Sul e Europa, tendo igual sucesso.

Na época, o grande público chegou a pensar que os PHOLHAS fossem estrangeiros, mas os rapazes sempre fizeram questão de explicar que eram apenas 4 músicos brasileiros cantando em inglês, tendo como objetivo internacionalizar seu trabalho.

Na sequência vieram os sucessos: She Made Me Cry, Forever, I Never Did Before, Get Back, My Sorrow, entre outros, firmando os PHOLHAS como um dos maiores nomes do cenário musical brasileiro e internacional.

No início de 1977, após gravarem por pressão da gravadora o LP “O Som Das Discotheques”, Hélio deixa a banda para tentar carreira solo e em seu lugar entra o tecladista Marinho Testoni, ex “Casa das Máquinas”. No final desse mesmo ano lançam o LP homônimo “PHOLHAS” voltado para o rock progressivo e com uma grande novidade: cantado em português, significando uma mudança radical no estilo da banda até então. O disco não chegou a ter vendagem expressiva, porém acabou virando “cult”, e ainda hoje é muito disputado pelos colecionadores.

No final de 1978, é a vez de Oswaldo Malagutti deixar a banda para dedicar-se ao projeto pessoal de montar um estúdio de gravações e que viria a ser o “MOSH STUDIOS”. Em seu lugar entrou João Alberto, ex “Casa das Máquinas”, assim como Marinho.

Em 1979 Hélio desiste da carreira solo e os PHOLHAS o acolhem novamente. Voltam a gravar no estilo que sempre os consagrou: cantando e compondo canções românticas em inglês, e lançam dois trabalhos:

  • "MEMORIES" (1980)

  • "DISCO DE OURO - VOL II" (1981)

Com a saída de Marinho Testoni, em 1981, os PHOLHAS lançam em ordem cronológica, os seguintes discos:

  • 1982 - “PHOLHAS”

  • 1985 - “WINGS”, incluindo a versão em inglês do clássico “Asa Branca” de Luiz Gonzaga.

  • 1987 - “THE NIGHT BEFORE”

  • 1988 - “CÔRTE SEM LEI”, segundo disco cantado em português.

  • 1995 - “DISCO DE OURO”, reedição em CD do LP homônimo de 1977.

  • 1996 - “PHOLHAS - 25 ANOS”

  • 1998 - “PHOLHAS Forever - 26 anos”

  • 1999 - “DEAD FACES”, que é um relançamento remasterizado do primeiro LP.

  • 2000 - “HITS BRASIL”, contendo 2 CDs com os principais artistas brasileiros dos anos 1970 que gravavam em inglês

  • 2001 - “PHOLHAS – Ao Vivo no Brasil”

  • 2003 - “PHOLHAS, 70’s GREATEST HITS”

  • 2005 - “PHOLHAS”, reunindo 17 canções que foram grandes sucessos da banda, sendo que algumas antes só existiam em vinil.

 

Em 2007 Hélio Santisteban sai definitivamente da banda e os PHOLHAS lançam os CDs:

  • “PHOLHAS – FOREVER” (2009)

  • “PHOLHAS - 45 ANOS” (2015), o mais recente CD, com destaque para as versões em inglês de 4 dos maiores sucessos de ROBERTO CARLOS:

.FORGET HIM (Esqueça), clique aqui e veja o video

.HATE AND LOVE (Ciúme De Você)

.HOLD ON TO US (Só Por Amor)

.OUR SONG (Nossa Canção), clique aqui e veja o video

 

A nota triste da história dos PHOLHAS foi o falecimento do ex-integrante e um dos fundadores da banda Hélio Santisteban no dia 26 de agosto de 2018. Estará para sempre em nossos corações!

A formação atual dos PHOLHAS é:

Neste ano de 2019 os PHOLHAS comemoram com muita alegria seus 50 anos de atividades, nos quais colecionaram vários discos de ouro, firmando-se definitivamente como uma das maiores bandas do cenário “pop”, conquistando cada vez mais uma legião incrível de admiradores, comprovado tanto nas gravações quanto nas apresentações que fazem por todo o Brasil, Europa e América do Sul.